Escaparate de Baiano

Escaparate: Redoma, pequeno armário, vitrine, subterfúgio.

de Baiano: Aquele que é natural da Bahia.

 

O Manifesto

O ESCAPARATE  é pra se guardar o que se estima, o que for venerável, e por isso nos demos o direito de preparar um Escaparate de Baiano sortido de belezas, lindezas que a Bahia nos legou : Nós somos reflexo imperfeito da face dos Doces Bárbaros, do cancioneiro praiano de um tal Caymmi. Somos Embalo da Alvorada da Ajuda, os bons Carnavais, o de Maragogipe, dos Novos e Velhos Baianos com seus ares de Rock and roll e, por fim, aquilo que somos de fato, reflexo da nossa força motriz:
                                   

a banda lançou no final de dezembro de 2012 o seu primeiro EP, alcançando em menos de uma semana o total de 1362 execuções sem mesmo ter tido, oficialmente, sua primeira apresentação. Atualmente, a Escaparate finaliza o seu primeiro CD (Independente) e seus dois primeiros videoclipes. Parte da nossa produção você pode verificar aqui.

Nas cordas e cordas vocais, Matheus Felipe (Baixo), Diogo Navarro (Guitarra), Moreira (Violão/ Voz), Tamires Teles (Voz/ Efeitos). Na bateria, Marthius Luiz e na percussão, Robson Moreira.

o Recôncavo.

Nossas Obras!

A Banda...

Artistas independentes à beira da falência X arte caótica fruto da industrialização musical. Importações de formas sem reflexões nacionais. Manifesto da Poesia Pau-Brasil, Manifesto Antropófago. Semanas Modernas de 22 pra cá. Tropicalismo, onde fora parar? O Xamã relutante vive de editais, último tropicalista na terra tropical. Esta é a ode do país do carnaval ou do capital? Enlatados, distorções musicais. O Axé do Ilê, cadê? O axé “Acabou Chorare”! Do Oiapoque ao Chuí, todos enlatados. Modas sertanejas, sambas, forrós, a música brasileira na linha bamba, na fórmula dos refrães fáceis, sem requinte ancestral. Embate desleal, moda fugaz. Somos independentes quase sem dentes por lutar.“Banguelos” famintos por ganhar!